pesquisa

Nesta seção você poderá conhecer algumas pesquisas já concluídas, orientações realizadas e outras informações sobre pesquisa e extensão. Minhas atividades de pesquisa entrelaçam-se organicamente com as atividades didáticas desde os anos 1980. Basicamente, são duas linhas de pesquisa ao longo de minha atividade profissional (desde 1982): História da Cultura (esta prioritária desde 2016) e Paisagens Partilhadas.

 

HISTÓRIA DA CULTURA E DA PAISAGEM. ARTE, NATUREZA E CIDADE (linha de pesquisa docente, 2001-em curso)

Objetivo: Pesquisas desenvolvidas como docente da USP e, antes disso, em estudos nos quais se destacam, no nível de pós-graduação, o mestrado (A Herança da Paisagem, 1986-1993) e o doutorado (As Sombras da Floresta. Vegetação, Paisagem e Cultura no Brasil, 1994-1999) e anteriores (por exemplo Análise da Paisagem da Avenida Paulista -TFG 1981; A Arquitetura dos Teatros Distritais do Convênio escolar -1986; O Rio de Janeiro na Época do Padre José Maurício, 1986 entre outras), sempre com rebatimento em diversos níveis do ensino. Desenvolvo estudos de história cultural da natureza, da paisagem, da cidade e dos saberes e processos criativos do projeto do espaço, com foco nos campos da representação e do imaginário, da construção e transformação de significados. Os estudos se dão através de ensaios sobre as representações em documentos diversos em sua construção histórica: narrativas, memórias, relatórios, artes plásticas, música, cinema, literatura, ciências e nas configurações do espaço natural e habitado em sua transformação, inserindo mutuamente cultura e espaço (paisagem). A partir do início de 2016 as pesquisas entram em nova fase com o projeto “A Natureza e o Tempo (o Mundo)”, que articula pesquisa, ensino e extensão, cuja apresentação pode ser lida através do menu superior.

PAISAGEM, CULTURA E PARTICIPAÇÃO SOCIAL: PAISAGENS PARTILHADAS (linha de pesquisa docente, 2001-…, parcialmente desativada a partir de 2015)

Objetivo: A pesquisa (http://www.espiral.fau.usp.br/ e também pode ser vista através do menu superior deste blog) deu origem em 2003 ao Núcleo de Estudos da Paisagem e em 2005 ao grupo de pesquisa Paisagem Cultura e Participação Social e ao Laboratório Espaço Público e Direito à Cidade. Adotou-se a noção de paisagem como experiência partilhada socialmente construída, reconhecendo suas tensões e contradições, evidenciando o drama humano que abrigam em sua dimensão histórica, ecológica e cultural. Os trabalhos tiveram duas frentes: Conceitos e Métodos no Estudo de Paisagens e Processos Colaborativos e Aprendizagem em Ação. O objetivo foi estabelecer uma base conceitual e metodológica para estudos em um enfoque cultural das paisagens, valorizando a imersão e vivência do pesquisador como imprescindível ao estudo da paisagem, na apreensão crítica das percepções, valorações, modos próprios de construir e significar paisagens em grupos submetidos a processos de exclusão ou preconceito. Foram realizados também estudos no sentido de análise da gestão, enquanto ação institucional e de política pública e com referenciais de planejamento ambiental, que se entendia poderiam contribuir para não perder de vista as técnicas contemporâneas pelas quais se pensa poder planejar o espaço humano. O grupo de pesquisa reuniu uma ampla diversidade de pesquisadores de diversas áreas de formação que atuam colaborativamente em um programa integrado de trabalho. A minha Livre Docência (2011) basicamente refere-se a esta linha.